Como estudar sozinho com videoaulas e aproveitar ao máximo os recursos da internet?

27E aí, tudo bem?

Você é sortudo: no meu tempo de estudante, quem queria estudar sozinho tinha que ser um autodidata. Era preciso correr atrás do material e estudar por conta própria, sem nenhum tipo de orientação.

De uns tempos pra cá, isso mudou. Você deve ter reparado a quantidade enorme de plataformas online e canais do YouTube que oferecem videoaulas das mais variadas disciplinas. E isso é ótimo, porque permite a todo mundo a oportunidade de estudar sozinho com um conteúdo de qualidade e bem orientado.

Só que tem um porém nessa história: estudar sozinho com videoaulas nem sempre é fácil. Muitos alunos se perdem em meio às possibilidades e não conseguem render tanto quanto poderiam.

Pensando nisso, neste post separei algumas dicas de como estudar sozinho com videoaulas. Mostrarei para você como se organizar e como aproveitar melhor as ferramentas que você tem à sua disposição. Bora lá?

Como estudar sozinho com videoaulas: 8 dicas matadoras

1. Mantenha o foco

Sempre que você for sentar para assistir a uma videoaula, é importante que você se porte da mesma maneira que faria se estivesse em sala de aula. Ou seja, nada de assistir aos vídeos largados na cama ou de biquíni na beira da piscina.

É fundamental que você se concentre no conteúdo que vai acompanhar. Por isso, sente-se em uma mesa confortável e organizada. Não se esqueça do seu caderno e de uma caneta para fazer anotações. Para ter foco total, silencie seu celular, feche todos os programas no seu computador e deixe aberta apenas a aba do seu navegador em que está a videoaula.

2. Planeje-se

Para estudar com videoaulas, é preciso ter organização e disciplina – e isso envolve planejar seu cronograma semanal de estudos. Esse é um passo crucial para que você não perca tempo decidindo o que assistir e já tenha o material sempre preparado.

Montar o cronograma não é complicado: liste em uma agenda todos os seus compromissos ao longo da semana e lembre-se de reservar algumas horas do dia para os estudos. Em seguida, divida os conteúdos e as disciplinas entre os dias da semana, de forma a abranger todas as matérias que você pretende estudar.

3. Acompanhe os cursos

Seguindo o tópico anterior, é importante lembrar que todo canal educacional que tem um curso estruturado tem um cronograma e uma ordem específica das aulas, ou seja, os cursos têm começo, meio e fim.

Geralmente, quem tem um canal no Youtube ou uma plataforma própria online – pelo menos aqueles mais organizados – possuem uma playlist com as videoaulas, separadas por assuntos e enumeradas e listadas na ordem  mais adequada  para os seus estudos.

E não se prenda a apenas um professor: se houver tempo, acompanhe aulas de outros docentes da mesma disciplina. Ter outros pontos de vista e outras metodologias sobre um mesmo conteúdo é altamente benéfico para seu processo de ensino-aprendizagem.

4. Redefina seus hábitos de estudo

De fato, estudar sozinho com videoaulas é um processo de aprendizagem diferente de ir para uma sala de aula todos os dias. Além dos hábitos que você adquire indo para a escola todos os dias, na maioria das instituições de ensino o aluno acaba vendo quatro ou cinco disciplinas diferentes no mesmo dia.

Quando você estuda com videoaulas, o seu processo pode – e deve! – ser diferente. Como vimos, ao criar seu cronograma semanal, você consegue ter uma organização muito mais eficaz dos seus estudos.

Por exemplo: você pode assistir a aulas de Matemática pela manhã e à tarde ou à noite colocar esses conhecimentos em prática resolvendo uma lista de exercícios da mesma disciplina.

5. Faça os exercícios por conta própria

Sempre que você estiver assistindo a uma videoaula e o professor propor a resolução de um exercício, pause o vídeo e tente resolvê-lo por conta própria. Quando assistimos ao professor resolvendo uma determinada questão antes de tentarmos fazê-la, nós ficamos com uma falsa sensação de aprendizagem.

Caso o professor não resolva o exercício no vídeo e você não souber como resolvê-lo, você pode procurar fóruns e comunidades na internet e nas redes sociais para trocar ideias com os outros membros e entender melhor aquela questão. Nunca deixe ninguém resolver por você, ok?

6. Faça anotações

Se tem uma coisa que não muda entre aprender em uma sala de aula e estudar sozinho com videoaulas é a necessidade de fazer anotações. Sempre que for assistir a uma aula online, tenha ao seu lado um caderno para escrever os pontos mais importantes e também suas dúvidas.

Anotações não são somente um recurso para fazer resumos, mas também para memorização dos conteúdos. Lembre-se de que, na internet, você pode parar e voltar o vídeo quando bem entender.

Nesse sentido, aliás, muitos professores recomendam que o aluno assista à videoaula sem pausas e depois volte e assista novamente, dessa vez parando sempre que necessário e fazendo as anotações que julgar pertinentes.

7. Tente ensinar alguém

A partir do momento que você consegue ensinar a alguém um conteúdo, isso significa que você domina os conceitos suficientemente bem para passá-los adiante. E não precisa ensinar alguém presencialmente. Nos comentários das videoaulas no YouTube, nos sites e fóruns de discussão e também em comunidades do Facebook, sempre há pessoas com dúvidas sobre o conteúdo. Veja se você se sente apto a ajudá-las e tire a dúvida de alguém.

8. Seja mais produtivo

Não saber como investir seu tempo nos estudos da forma mais apropriada pode ser um tiro no pé. Nosso cérebro tem um limite e é preciso respeitá-lo. Afinal, de nada adianta encarar uma aula quando você está esgotado e não absorver nada daquele conteúdo.

Para nossa sorte, existem diversas técnicas que ajudam a melhorar a produtividade nos estudos. Muitas delas se baseiam em ciclos de atenção, alternando o foco nos estudos com pequenos intervalos de descanso. A ideia é justamente otimizar seu rendimento nos estudos.

Uma dessas técnicas é a Pomodoro. Ela propõe fracionar uma grande tarefa em atividades menores. Por exemplo: se você tem uma hora para assistir a três conteúdos, não emende um no outro. Pelo contrário: divida-os em ciclos de 20 ou 25 minutos, alternando com intervalos de cinco minutos.

Ao adotar medidas com essa, você potencializa sua produtividade. Em vez de chegar ao limite da sua concentração ao acumular muitas horas seguidas de estudos, você aumenta a intensidade com que você estuda, conseguindo um melhor rendimento.


Vídeo Extra: Como estudar sozinho com videoaulas

É isso aí, aluno! Espero que você tenha compreendido um pouco melhor como entender e detonar no Enem. E se quiser ajuda para melhorar seu nível de Matemática para o Enem, para o vestibular, para o concurso ou para a faculdade, acesse o site do Matemática Rio e conheça meus planos e cursos. Espero você!


SAIBA MAIS

👉 ENEM: 5 passos para entender e detonar na prova mais esperada do ano
👉 MMC e MDC – Mínimo Múltiplo Comum e Máximo Divisor Comum

Me acompanhe nas redes sociais: curta a minha página no Facebook, me siga no Instagram, se inscreva no Youtube.

Compartilhar:

Deixe uma resposta